terça-feira, 16 de agosto de 2011

Vereador Eliseu Bayer participa de inauguração da Penitênciaria Feminina de Tupi Paulista nesta terça (16/08/2011)

O presidente da Câmara Municipal de Presidente Venceslau Eliseu Bayer Nogueira esteve em Tupi Paulista acompanhados dos vereadores Sérgio Amaury, Serafim e Rodrigo Monteiro participando na inauguração da Penitenciária Feminina de Tupi Paulista, onde esteve presente o governador Geraldo Alckmin inaugurou nesta terça-feira, 16, a Penitenciária Feminina de Tupi Paulista Com uma área total de 19.142,34 m², a nova unidade tem capacidade para 714 reeducandas, sendo 660 no regime fechado e 54 no semiaberto, e é a segunda unidade do Sistema Prisional Paulista planejada e construída exclusivamente para atender as particularidades e necessidades das mulheres presas, em especial as da área da saúde.

"Com essa penitenciária feminina aqui na região, Piquerobi, Santo Anastácio, Pirapozinho, Tupi Paulista, Adamantina deixam de ter cadeia pública feminina. Isso é um grande ganho em termos de eficiência para a Polícia Civil, de melhora do trabalho policial e uma penitenciária modelo", afirmou o governador.

A nova unidade conta com pavilhões exclusivos destinados ao atendimento médico das detentas, bem como das reeducandas grávidas, puéperas e seus bebês. Trata-se do projeto Espaço Mãe, elaborado pela Fundação Professor Dr. Manoel Pedro Pimentel de Amparo ao Preso (Funap), no qual, durante os seis meses do período de amamentação, as mães e seus filhos ficam acolhidos. Essas medidas visam proporcionar melhores condições de cumprimento de pena, com mais dignidade e segurança para internos e servidores.

Além das áreas voltadas à saúde, a unidade está equipada com setores de trabalho, biblioteca, serviços, inclusão e ressocialização, onde foi instalada uma padaria artesanal - projeto desenvolvido pelo Fundo Social de Solidariedade (Fussesp) com o objetivo de fornecer capacitação profissional às detentas.

"E hoje assinamos também um convênio para o programa educacional. Um programa para todo o sistema, então o preso que é transferido de uma penitenciária para a outra não perde os estudos. Nós temos 16 mil presos estudando e a nossa meta é ir para 36 mil", lembrou Alckmin.

EstruturaA Penitenciaria Feminina de Tupi Paulista está localizada na zona rural do município, a cerca de 12 km do centro da cidade e 6,6 km da rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP 294), no sentido de Panorama. Ao todo, 190 funcionários serão responsáveis pela operação da unidade, que custou aproximadamente R$ 44 milhões.

A nova unidade é equipada com pavilhões de trabalho, de serviços, saúde, amamentação, biblioteca, serviços, entre outros. As reeducandas contam ainda com pavilhões celulares, nos quais, além das celas, estão instaladas áreas para a prática esportiva e espaço lúdico com palco para apresentações diversas.

RessocializaçãoA Penitenciária de Tupi Paulista contará com uma Padaria Artesanal, projeto desenvolvido pelo Fundo Social de Solidariedade. O objetivo principal é oferecer capacitação profissional às presas Equipado com forno inox, batedeira, liquidificador, balança, assadeiras de alumínio e botijão de gás, durante um mês, funcionários da FUNAP, agentes penitenciários e algumas sentenciadas passarão por capacitação. Essas pessoas se tornarão monitoras e ficarão encarregadas de retransmitir as técnicas as demais sentenciadas.

No curso são ensinadas técnicas básicas para o preparo de pães artesanais. As receitas são simples e elaboradas a partir do aproveitamento de vegetais (como hortaliças e frutas). São dez tipos de pães: integral, de cenoura, de maçã, de batata, caseiro, recheado com frios, de forma, de fubá, de mandioca e rosca doce.

Sobre as Padarias ArtesanaisA Padaria Artesanal foi implantada pela primeira-dama Lu Alckmin em junho de 2001. O objetivo é qualificar profissionais e capacitar agentes multiplicadores na produção de pães por processos caseiros sem utilização de equipamentos e conservantes.

De 2001 até o momento, foram doados mais de nove mil kits a entidades assistenciais, fundos municipais e escolas que integravam o programa "Escola da Família". Neste período, foram capacitados mais de 20 mil agentes multiplicadores no Estado de São Paulo, além de pessoas vindas de 17 estados brasileiros e outros dois países, Paraguai e Angola.